Arquivo da categoria: Pseudo músicas, livros, cinema e afins

Coquetel de hipocrisia, eu me emociono com Dagonet e a última do Cash

La vem eles com os armanis armados até os dentes de assuntos entediantes e sorrisos sem nicotina, elas riem feito hienas ao verem o tilintar das taças e das chaves do mercedez estacionado pelo manobrista la fora. acabei de encostar meu violão la atras no palco, achei o lugar mais escuro pra me sentar e assistir daqui, esse espetaculo entediante,  a febre e o mal estar  me privando dos Labels passando em minha frente, nem ligaria pra isso se nao tivesse que cantar lucidamente pra meia centena de pessoas entediantes depois.

arranjos de flores em neon, camuflavam a presença dela que eu via ao longe encostada no balcão. meus olhos marejados queriam enxergar algo assim, eram os 40° graus de febre falando por mim. Comida árabe ou algo asiático era servido a todos e de tempos em tempos passavam por mim também:

“Bolinho primavera senhor?”

“o quê?”

” é parecido com um pastel com recheio de repolho”

“não obrigado”

E continuava ali sozinho esmagado na multidão, eu e meu copo de água morna e a febre mantendo a visao no balcão,  o cerimonial anuncia os premios me oferecem quibe cru com cobertura de iogurte natural e nao tenho escolha, pra me manter em pé e cuspir alguns acusticos aqui pra alegria dos armanis.

Champagnes franceses e doses cavalares de repolho e massa, mantem quase no nivel de um espetaculo,  ate luzes de neon ditavam meu ritmo e a febre mantinha as vertigens, no fundo apenas rezava pra acabar depressa, sair daquele buraco na high society, na hipocrisia highway, mentindo pra eles e recebendo de volta em elogios embriagados, garçons cortinas e arranjos embaçados, area de fumantes e saidas de emergencias, Deus me arda em febre mas acabe com essas visões. Umas duas horas e meia assim, “garçon fecha pra mim” cumprimentos, violão nos ombros volante e casa.

_______________________________________________________

Hoje assisti novamente o Rei Artur e me deu uma puta saudade da época em que esses filmes medievais eram bons, Coraçao Valente, gladiador e outros que nao me lembro.  Não por isso nem pelos Oscar’s mas por exemplo,  pela cena em que o Dagonet dá a sua vida pra quebrar o gelo e matar uma pá de Saxões,  claro que nao faria o mesmo por amigos meus eu imagino, mas é uma coisas que eu acho foda pra caralho, que nao veremos em dias de hoje.

_____________________________________________________

e agora no fim da noite bateu uma puta vontade de ouvir Cash, aquela ultima que ele fez que fala de arrependimentos e de pessoas que vão embora,  igual o Dagonet. Enfim…


Enquanto tempo não da as caras pra eu poder postar alguma coisa aqui, segue um bom rock n roll de sempre

essa quase desconhecida

O timbre do Bruce cai bem pra qualquer hora


Sinatra e uma película muito bem interpretada

Inspirado em fatos reais

rachei de rir


Whiskey in the jar e suas versões


Slash & John Mayer juntos, de quebra ainda o ZZ top


Sexta no marasmo, cavalgadas a 1 da manha e as minhas “divas” do blues

Ta um calor dos infernos aqui – pelo menos com a janela e a porta fechada – to suando feito um porco, pode ser o whisky tambem sei la, to ouvindo uma turma aqui do lado de fora da minha casa caminhando com seus cavalos e falando algo sobre trotes, (de cavalo eu imagino, não de telefones) não entendo a minima sobre cavalos.

Hoje foi uma daquelas sextas cansativas, mas que no final do dia dão um gosto de dever cumprido ou algo parecido, de manha a patroa me ligou contando que passou no exame de direçao e tudo correu bem depois, um amigo meu acabou de me ligar me contando que ouviu uns caras tocando em um bar aqui proximo, me contou que os caras mandavam bem pra caralho e que tinha uma mina que cantava com eles que arregaçou mandando Janis Joplin e alguma do The Police. Isso me deixou um pouco puto pra falar a verdade, ja faz quase um ano que to pra começar a tocar e  nao vem dando certo, hora por nao ensaiarmos, hora por nao conseguirmos fechar com nenhuma budega que seja, enfim, serve de motivação tambem. Enfim, falando em cavalos de madrugada e Janis Joplin, me lembrei desse mesmo amigo que me ligou, ou melhor , lembrei-me que a nos dois fizemos uma pequena seleçao  de divas do blues pode-se dizer, em volta do pouco que conhecemos:

Achei essa china ai sem querer, nas minhas buscas no limewire, não poderia ficar de fora da lista

A susan eu falei dela num post antigo, dispensa comentarios, vale a pena ouvir as outras

essa musica tambem é sensacional, pena que não achei o video da versão da Etta James,  a diva mor dessa merda toda

Tudo bem, Cassia Eller nao é praticamente um blues, mas vai entrar nessa tambem, afinal de conta como deixar o Blues da piedade de fora?


Mais Slash

Mais um clipe do disco novo do Slash, musica com participaçao do tal myles kennedy (vocalista do Alter bridge), rock brabo pra ninguem botar defeito,